[Contexto] Pedido de Casamento

12843
1
SHARE

por Ana Balderramas

A nossa geração está (pelo menos eu estou e me entristece se você também não embarcou nessa) repensando diversos setores das nossas vidas. Então volta e meia surgem aquelas reflexões que vêm e a gente nem se dá conta. Quando vê, já foi. Daquelas que vem antes de dormir, no banho, no ônibus. E tem vezes que é um pensamentinho meio bobo, que surge, mas daí não dá pra falar pro nosso pensamento “hey, pera lá! Você é muito pouco importante, deixa eu refletir aqui sobre as dificuldades que enfrentam no sistema de ensino no Brasil”. Deixa o pensamentinho vir, miga.

Daí dia desses eu me deparei com uma dessas reflexões por conta de um texto que andou circulando por aí e que falava sobre o machismo atrelado a algumas características do casamento. Não da instituição casamento, do dia da cerimônia em si. Coisas como plaquinhas que as daminhas e pajens seguram antes da entrada da noiva contendo textos que supõem que o noivo está sendo obrigado, coagido a se casar (coitadinho). Topinhos de bolo contendo a noiva acorrentada ao noivo amordaçado (pobre noivo). Dentro outras brincadeirinhas inocentes. Tá, eu sei que é só uma brincadeira, que é pra ser divertido. As pessoas têm mania de achar que feminista não tem senso de humor, mas eu tenho, e muito. Passo o dia todinho rindo de memes na internet. Mas eu não acho que esse tipo de brincadeira seja legal no dia da cerimônia, não mesmo. Porque eu acho que reforça uma coisa ruim da nossa sociedade que é: homem não quer casar, só a mulher. O que eu não acho que seja verdade em sua totalidade.

Mas eu já tinha refletido e desconstruído todas essas coisas as quais eu li nesse texto. Ele me fez gerar uma nova reflexão, porém: por que SEMPRE é o homem que tem que pedir a mulher em casamento? (TAN TAN TAAAAAAN) Sério, parece bobo, parece pequeno diante de pautas muito mais importantes e urgentes do feminismo? Parece. Mas pra mim um conjunto de coisas minúsculas todas juntas se torna uma coisa gigante. Combater o machismo, racismo, homofobia, é sempre combater um conjunto de pequeninas coisas que separadas parecem bem inofensivas, mas que juntinhas fazem o estrago que fazem.

O feminismo é luta por igualdade, certo? Então, por que só o cara que tem que pedir? Falo por experiência própria: eu não só esperava que meu parceiro me pedisse em casamento, mas eu esperava que fosse um acontecimento de cinema, daqueles dignos de viralizar nas redes sociais. Depois eu parei pra pensar que isso é uma bela duma pressão desnecessária. Ele nem queria casar e eu sabia disso, mesmo assim eu achava que tinha que acontecer, senão eu não seria feliz. E eu nem era daquelas meninas que sonha com casamento desde criança, quando era novinha dizia que nem iria casar. Eu tenho várias amigas na mesma situação (ou que já conseguiram pressionar o amado a subir ao altar).

Agora que fique claro: meu problema não está no casamento em si, ou mesmo no pedido. Se um dos dois quer surpreender o outro com um pedido bacana, de boas! Mas na nossa sociedade é ESPERADO que isso parta do homem. E eu acho que isso é problemático. Se vivêssemos numa sociedade ideal na qual o pedido de casamento fosse uma ação esperada igualitariamente dos dois lados, não teria problema nenhum com isso. Mas não é. Estamos desconstruindo todos os aspectos do casamento: a divisão igualitária das tarefas domésticas, o cuidado dos filhos, das despesas do lar, enfim. E o feminismo é também sobre o poder de escolha. Sim, as mulheres podem ser donas de casa, sim, se elas quiserem. Mas isso sendo uma escolha consciente e não como a ÚNICA opção que ela possui na vida.

Talvez, a solução para isso seja então nós, mulheres, usarmos do nosso poder de escolha e começarmos a pedir as belas mãos dos nossos amadinhos em casamento também! E aí essa questão começaria a se tornar mais igualitária. Empatia é a palavra da vez, vamos tentar nos colocar no lugar dos mocinhos que não querem casar, não querem fazer um pedido megalomaníaco, ou não querem nem pedir, e pensar no quão ruim pra eles deve ser estar nesse lugar? E se seu boy está super de boa com a situação e deseja fazer aquele mega pedido de contos de fadas para você, se joga! Sejam felizes (para sempre ou não).

1 COMMENT

  1. Gostei muito, Ana.
    Realmente, algumas coisas são encaradas como cláusula pétrea e portanto não deixam espaço para mudanças que seriam muito interessantes e ainda por cima derrubariam certos tabus.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here