[Contexto] Contentamento

520
SHARE

por Edson Oliveira

Alegria é passageira e felicidade é efêmera. Por isso, vou falar de contentamento.

Contentamento é aquela sensação boa de dever cumprido. Sim, ele tem algo de alegria, mas também traz aquele sentimento de etapa ultrapassada. Se você curte videogame, o contentamento é o “save point”.

Na última semana, minha filhas mais novas completaram o Ensino Médio. Mérito delas, mas, como paternidade é um eterno aprendizado, Minha participação nos estudos delas, principalmente nos últimos dois anos, foi bem mais atuante.

Assim, não havia as provas e trabalhos “delas”, havia “nossas” provas e trabalhos. Isso envolveu desde procurar mapas, até assistir filmes que eu não veria normalmente.

Valeu a pena? Sim, totalmente. Não vou dizer que, se eu não estivesse ali, talvez ela não alcançassem êxito. Mas eu estava lá. Eu vivi isso.

Extrapolando o tema, eu gostaria de falar sobre relacionamentos, incluindo aí a parte profissional, amorosa, e, por que não, aquela parte que inclui amizades e parcerias.

Em todas essas áreas, temos grandes e pequenas vitórias, vitórias “em equipe”, e do qual fizemos parte. Mas existem ocasiões em que, ao invés de comemorarmos, acabamos menosprezando a vitória do outro.

São exemplos que vemos, principalmente, nas redes sociais, onde todos têm que ter um lado. A vitória desse lado significa uma vitória pessoal, a derrota desse lado também vira uma derrota pessoal…

Por vezes, não reparamos que nossa vida é mais do que vemos/lemos/postamos na internet. Mas eu ouso dizer que nossa vida é TUDO que não postamos.

Quando lemos “fulano está em um relacionamento”, não vemos todas as vezes em que o “fulano” tomou chá de coragem para conversar com a outra pessoa. Mas o que essa postagem específica indica? Contentamento. Como se dissesse “daqui pra frente é uma nova história”.

Perceba que esse contentamento demanda envolvimento pessoal. Um “relacionamento com a democracia” não tem a mesma força que “ficou noivo/noiva de…”

Hoje, mais do que nunca, é tempo de refletirmos sobre esse envolvimento pessoal: Não deixe sua namorada de lado, não deixe seu trabalho de lado, não deixe seus amigos de lado, não deixe seus estudos de lado.

Lá na frente, quando seus projetos vingarem, quero ver seu nome na lista, como um vitorioso. Como alguém que não parou no meio do caminho. E, se por ventura, não der certo (porque isso também acontece), você possa dizer: “Eu dei o meu melhor”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here